sexta-feira, 12 de setembro de 2014

AOS DISCÍPULOS


"Mas nós pregamos a Cristo crucificado, que é escândalo para os judeus e loucura para os gregos.
 Paulo. (I  CORÍNTIOS, 1:23.)




A vida moderna, com suas realidades brilhantes, vai ensinando às comunidades religiosas do Cristianismo que pregar é revelar a grandeza dos princípios de Jesus nas próprias ações diárias. 
O homem que se internou pelo território estranho dos discursos, sem atos correspondentes à elevação da palavra, expõe-se, cada vez mais, ao ridículo e à negação.
Há muitos séculos prevalece o movimento de filosofias utilitaristas. E, ainda agora, não escasseiam orientadores que cogitam da construção de palácios egoísticos à base do magnetismo pessoal e psicólogos que ensinam publicamente a sutil exploração das massas. 
É nesse quadro obscuro do desenvolvimento intelectual da Terra que os aprendizes do Cristo são expoentes da filosofia edificante da renúncia e da bondade, revelando em suas obras isoladas a experiência divina daquele que preferiu a crucificação ao pacto com o mal.
Novos discípulos, por isso, vão surgindo, além do sacerdócio organizado. Irmãos dos sofredores, dos simples, dos necessitados, os espiritistas cristãos encontram obstáculos terríveis na cultura intoxicada do século e no espírito utilitário das idéias comodistas. 
Há quase dois mil anos, Paulo de Tarso aludia ao escândalo que a atitude dos aprendizes espalhava entre os judeus e à falsa impressão de loucura que despertava nos ânimos dos gregos. 
Os tempos de agora são aqueles mesmos que Jesus declarava chegados ao Planeta; e os judeus e gregos, atualizados hoje nos negocistas desonestos e nos intelectuais vaidosos, prosseguem na mesma posição do inicio. Entre eles, surge o continuador do Mestre, transmitindo-lhe o ensinamento com o verbo santificado pelas ações testemunhais. 
Aparecem dificuldades, sarcasmos e conflitos. 
O aprendiz fiel, porém, não se atemoriza. 
O comercialismo da avareza permanecerá com o escândalo e a instrução envenenada demorar-se-á com os desequilíbrios que lhe são inerentes. Ele, contudo, seguirá adiante, amando, exemplificando e educando com o Libertador imortal.



Do Livro "Vinha de Luz", Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Emmanuel

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

MULTIDÕES


                                                               "Tenho compaixão da multidão." - Jesus. (MARCOS, 8:2.)

    Os espíritos verdadeiramente educados representam, em todos os tempos, grandes devedores à multidão. 
Raros homens, no entanto, compreendem esse imperativo das leis espirituais. 
Em geral, o mordomo das possibilidades terrestres, meramente instruído na cultura do mundo, esquiva-se da massa comum, ao invés de ajudá-la. Explora-lhe as paixões, mantém-lhe a ignorância e costuma roubar-lhe o ensejo de progresso. Traça leis para que ela pague os impostos mais pesados, cria guerras de extermínio, em que deva concorrer com os mais elevados tributos de sangue. O sacerdócio organizado, quase sempre, impõe-lhe sombras, enquanto a filosofia e a ciência lhe oferecem sorrisos escarnecedores. 
Em todos os tempos e situações políticas, conta o povo com escassos amigos e adversários em legiões. Acima de todas as Possibilidades humanas, entretanto, a multidão dispõe do Amigo Divino. 
Jesus prossegue trabalhando. 
Ele, que passou no Planeta entre pescadores e proletários, aleijados e cegos, velhos cansados e mães aflitas, volta-se para a turba sofredora e alimenta-lhe a esperança, como naquele momento da multiplicação dos pães. 
Lembra-te, meu amigo, de que és parte integrante da multidão terrestre. 
O Senhor observa o que fazes. 
Não roubes o pão da vida; procura multiplicá-lo.

Do Livro "Vinha de Luz", Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Emmanuel

Confraternização da Mocidades Espíritas de Barretos


segunda-feira, 4 de agosto de 2014

COM AMOR


"E, sobre tudo isto, revesti-vos de caridade, que é o vinculo da perfeição." - Paulo. 
(COLOSSENSES, 3:14.)


Todo discípulo do Evangelho precisará coragem para atacar os serviços da redenção de si mesmo. 
Nenhum dispensará as armaduras da fé, a fim de marchar com desassombro sob tempestades. 
O caminho de resgate e elevação permanece cheio de espinhos. 
O trabalho constituir-se-á de lutas, de sofrimentos, de sacrifícios, de suor, de testemunhos. 
Toda a preparação é necessária, no capitulo da resistência; entretanto, sobre tudo isto é indispensável revestir-se nossa alma de caridade, que é amor sublime. 
A nobreza de caráter, a confiança, a benevolência, a fé, a ciência, a penetração, os dons e as possibilidades são fios preciosos, mas o amor é o tear divino que os entrelaçará, tecendo a túnica da perfeição espiritual. 
A disciplina e a educação, a escola e a cultura, o esforço e a obra, são flores e frutos na árvore da vida, todavia, o amor é a raiz eterna. 
Mas, como amaremos no serviço diário? 
Renovemo-nos no espírito do Senhor e compreendamos os nossos semelhantes. 
Auxiliemos em silêncio, entendendo a situação de cada um, temperando a bondade com a energia, e a fraternidade com a justiça. 
Ouçamos a sugestão do amor, a cada passo, na senda evolutiva. 
Quem ama, compreende; e quem compreende, trabalha pelo mundo melhor.





Do Livro "Vinha de Luz", Francisco Cândido Xavier, pelo Espírito Emmanuel

segunda-feira, 21 de julho de 2014

Palestra com Emerson de Oliveira Pedersoli e apresentação musical de Rafael Sago, no sexto e último dia da 53ª Semana Espírita Intermunicipal Barretos

A 53ª Semana Espírita Intermunicipal Barretos encerrou na cidade de Barretos, continuando nas cidades de Colina e Guaíra. Nesta bela noite, uma magnífica palestra com Emerson Pedersoli, abordando o tema: "Reconstruindo o amor na família", além da apresentação da bela voz de Rafael Sago.
































Palestra com Vilson Dispoti, no quinto dia da 53ª Semana Espírita Intermunicipal Barretos

"Drogadição: transtornos emocionais e obsessão" foi o tema trabalhado na quinta noite da semana espírita que acontece em Barretos. Com um público total de 346 pessoas, Vilson Dispoti nos ofertou a importância devida ao proposto, elencando os principais desajustes emocionais que resultam em mentes propícias à dependência química, salvo o pensamento vigilante e o trabalho edificador na construção de nós mesmos! 














sexta-feira, 18 de julho de 2014

Palestra com Moacir Costa de Araújo Lima e apresentação musical de Sérgio Santos, no quarto dia da 53ª Semana Espírita Intermuniciapal Barretos

Que noite maravilhosa! Seguindo a programação das palestras propostas na Semana Espírita 2014, tivemos a apresentação musical do companheiro Sérgio Santos, que nos deliciou com sua bela voz, juntamente com a palestra do amigo de Porto Alegre, Moacir Costa Araújo Lima, trabalhando e nos esclarecendo sobre o tema: "Quântica, ciência e Espiritismo". O público total da noite foi de 549 espectadores. Confiram as fotos!